segunda-feira, 15 de junho de 2015

Video Release Oficial da Copa Brasil de Paraciclismo em Rio das Ostras

A realização da Copa Brasil de Paraciclismo foi concluída na cidade de Rio das Ostras, interior do Estado do Rio de Janeiro, nos dias 29 e 30 de novembro de 2014. É um projeto da Confederação Brasileira de Ciclismo e do Comitê Paralímpico Brasileiro, através do Ministério dos Esportes, teve a supervisão da Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro e também da Prefeitura de Rio das Ostras.
Confira pelo video release, liberado recentemente pelos órgãos envolvidos, como foi a última etapa.

Acessando o site do Vimeo é possivel fazer o download do video e também ver em HD.


Outros videos foram publicados:
Assita pelos links:

http://globotv.globo.com/inter-tv-rj/rj-inter-tv-1a-edicao/v/rio-das-ostras-rj-recebe-copa-brasil-de-paraciclismo/3802421/


Rio das Ostras recebe etapa do Audax e promove Desafio Off-Road

(Foto: Gabriel Sales)

Evento reuniu atletas de vários estados e classificou ciclistas para Circuito Paris-Brest-Paris


Rio das Ostras foi mais uma vez escolhida para sediar o Audax Rio, prova internacional de ciclismo que reúne atletas movidos pelo desafio e amor ao esporte. No último fim de semana, de 29 a 31 de maio, a cidade foi palco da principal prova do circuito, o percurso de 600 km, que classifica para o Paris-Brest-Paris, principal evento da modalidade, com 1200 km de pedalada.

As provas do fim de semana incluíram o Desafio Off-Road do Audax, o Dora, desenvolvido em Rio das Ostras. O Dora traz obstáculos naturais, em trilhas pesadas, ao mesmo tempo em que os ciclistas aproveitam as belas paisagens do Município. A prova já ganhou destaque entre os esportistas e, neste ano, reuniu 74 participantes. 

DORA - Desafio Off Road do Audax


(Foto: Eduardo Almeida)


O circuito do Desafio Off-Road do Audax tem 80 km, percorrendo estradas de terra, trilhas e fazendas particulares das localidades de Rocha Leão e Cantagalo, zona rural do Município. A prova inclui uma trilha conhecida como “Vietnam”, na qual os participantes precisam empurrar a bicicleta, atravessar riacho, andar no meio da mata, entre árvores e trilhas de boi, sempre com subidas e descidas alternadas.
“O Dora tem uma proposta interessante, que alia as regras dos brevets com estradas de terra, trilhas pesadas, de difícil orientação e primando pela autossuficiência, pela cooperação mútua entre os participantes”, explica Thiago Gomes, organizador da prova.
E o Dora veio pra ficar. A organização do evento já anunciou que, no próximo ano, o circuito off-road terá regras próprias, nos padrões do ciclismo de regularidade, premiando os atletas por suas médias horárias.


AUDAX 600KM



(Foto: Gabriel Sales)

Neste ano, 37 atletas participaram da última e principal etapa do Audax Rio, para conquistar o brevet de 600km. O circuito incluiu as cidades de Macaé, Quissamã, Campos e São João da Barra, num percurso de ida e volta, passando até Cabo Frio.
A conquista desse brevet habilita o ciclista a participar de um dos maiores eventos da modalidade do mundo, o Paris-Brest-Paris, de 1200 km de percurso.



Um dos atletas a conquistar a façanha foi Cezar Barbosa, que já pode se considerar um veterano dos pedais. Desde 2004 ele participa do Audax e pela terceira vez vai testar sua resistência na prova francesa.

“Eu comecei a participar do Audax no desafio de 200 km. Como consegui superar meus limites na época, peguei gosto e nunca mais deixei”.

Barbosa é o único atleta do Estado do Rio de Janeiro a ostentar o título de “Super Randonneur  5 mil”, pela superação de um conjunto de provas que reúne as etapas de 200km, 300km, 400km e 600km, no Brasil, e de 1000km e 1200km, na França.

O ciclista destacou o apoio que a Prefeitura de Rio das Ostras dá ao esporte, principalmente ao Audax. Para ele, a cidade de Rio das Ostras é considerada perfeita para as pedaladas, por seu trajeto relativamente plano.

No fim de semana, a cidade recebeu também a prova de 200km, que reuniu mais de 62 atletas de toda a região.

O Audax Rio tem organização da Pedal 2, supervisão da Federal de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecierj) e apoio da Prefeitura de Rio das Ostras, por meio do Projeto Rio das Ostras Cidade Bike, de incentivo à prática do ciclismo.

Fonte: SECOM/PMRO

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Copa Brasil de Paraciclismo: final reúne quase 100 atletas nos dias 29 e 30 de novembro em Rio das Ostras

Atletas de muitas partes do Brasil participaram da 4ª Etapa da Copa Brasil em Rio das Ostras. Foto: Hamilton Cardoso

Rio das Ostras foi cenário de uma das principais competições do paraesporte nacional neste fim de semana. Pela segunda vez, a cidade recebe a etapa final da Copa Brasil de Paraciclismo. Quase 90 ciclistas disputaram as provas de resistência e contra-relógio. Rio das Ostras foi bem representada pelo atleta Heraldo de Oliveira, na categoria H4, de handbike, e por Tadeu Júnior e Eduardo Almeida na bicicleta dupla (Tandem). Em sua estreia no brasileiro, Tadeu, que tem deficiência visual, e seu guia, Eduardo, já subiram ao pódio, conquistando a terceira colocação da categoria. 

Heraldo, atleta do Paraesporte de Rio das Ostras, estreando na categoria H4. Foto: Gabriel Sales.

A cidade recebeu atletas de diversos estados do Brasil, como Roraima, São Paulo, Alagoas, Ceará, Pará, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Santa Catarina, entre outros. No grupo estavam supercampeões como Lauro Chaman, que venceu a prova de domingo e ficou com o primeiro lugar geral na Copa Brasil, na categoria C5, a mais veloz entre todas. 

As handbikes são as bicicletas usadas por atletas que têm deficiência nos membros inferiores, também as que mais prendem a atenção do público. Foto: Hamilton Cardoso.


“É muito gratificante ver o paraesporte ganhando expressão no País. Melhor ainda ver os municípios, como Rio das Ostras, apoiando nosso esporte, o que possibilita que os atletas locais participem das competições”, disse Lauro, que compete por Santos/SP. 

De alto nível técnico, Lauro também participa de provas regulares entre ciclistas sem deficiência e foi vice-campeão mundial de circuito de paraciclismo de estrada, nos Estados Unidos. Ele elogiou o apoio de Rio das Ostras ao paraesporte. “A gente vê que a cidade prestigia o esporte de verdade”, completou o campeão brasileiro de 2014. Lauro nasceu com uma deficiência no pé e tem uma das pernas atrofiadas. Ele venceu a Copa Brasil por desempate técnico, ficando Soelito Gohr, também de Santos, em segundo na C5. 





Tadeu Junior e Eduardo Almeida marcaram estréia com pódio de terceiro lugar na prova de contra relógio. Foto: Hamilton Cardoso.

ESTREIA - E são todas histórias de superação. De Rio das Ostras, o jovem Tadeu Júnior abraçou o ciclismo como uma das formas de enfrentar as limitações da deficiência visual. E vai longe. Aos 18 anos, estreou na Copa Brasil guiado por Eduardo Almeida, pedalando uma bicicleta Tandem, e a dupla já conquistou o pódio da prova da contra-relógio desta etapa. Eles participaram do Audax três vezes e treinam juntos há dois anos. 

“Foi uma superação. Nunca imaginei que conquistaríamos o pódio já na primeira vez. O importante é nunca desistir diante das dificuldades. Agora vamos rumo a mais medalhas!”, fala empolgado. 

Nessa categoria, a dupla ficou atrás de Alírio Seidler e Edson Rezende, em primeiro, e Alvacir Silva e Marcelo Scognamillo, em segundo, na etapa. 

CATEGORIAS - Os atletas disputaram em 15 categorias. Ciclistas com tetraplegia e paraplegia competem com as handbikes (bicicletas movidas pelos movimentos das mãos) nas categorias H1, H2, H3 e H4. Os triciclos (T1 e T2) são destinados aos que têm dificuldade de equilíbrio. Pessoas amputadas, de membros superiores ou inferiores, com ou sem prótese, utilizam as bikes (categorias C1, C2, C3, C4 e C5). Quanto maior o número da categoria, maior é o potencial funcional e menor a limitação do atleta. Os deficientes visuais utilizam as bicicletas Tandem, de dois lugares, e contam com atletas guias. 

CIDADE BIKE – O secretário de Esporte e Lazer, Alberto Moreira Jorge, e o subsecretário, Raphael Thuin, estiveram presentes e entregaram medalhas aos vencedores. O apoio do Município a eventos ciclísticos importantes como a Copa Brasil de Paraciclismo faz parte do Projeto Rio das Ostras Cidade Bike, que busca incentivar o uso da bicicleta e firmar a cidade no cenário esportivo nacional. 

A prova é uma realização do Comitê Paralímpico Brasileiro, em parceria com a Confederação Brasileira de Ciclismo e da Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro – Fecierj. A Copa tem apoio do Ministério dos Esportes e da Prefeitura de Rio das Ostras.






Texto: Luciane Chame/SECOM/PMRO